O “Shake” musical da Banda Uó

A novela Cheias de Charme exibida pela Rede Globo, chama atenção para um movimento que vem crescendo cada vez mais no Brasil, o Tecnobrega.  O tecnobrega, em termos gerais, é um gênero que descende de uma seleção de elementos nascidos de variações da música eletrônica combinados com elementos de diversas referências musicais cultivadas no Brasil e que, aos poucos, foi ganhando um padrão próprio em Belém, sob o nome de brega.

É esse ritmo bem brasileiro que move um trio vindo de Goiânia, a Banda Uó, que aos poucos vem conquistando seu espaço no cenário pop nacional. Creio que muitos já ouviram falar desse grupo formado por David Sabbag, Mel e Mateus Carrilho, eles já participaram de alguns programas na TV, como o programa Esquenta da Rede Globo, apresentado pela Regina Casé nas tardes de domingo durante o verão, e também foram destaques na apresentação da premiação de música brasileira, o VMB de 2011, promovido pela MTV, onde ganharam o prêmio de Webclip com o vídeo que emplacou a banda no cenário musical brasileiro, Shake de Amor”.

Banda Uó

Tudo começou quando Mateus Carrilho resolveu gravar um vídeo com uma versão brega da música Teenage Dream, da Katy Perry, que na versão dos goianos ganhou o nome “Não Quero Saber”, para a divulgação de uma festa. A banda fez outras versões de músicas gringas, sempre divertidíssimas com clipes muito estilosos, como o da música O Gosto Amargo do Perfume (vídeo que eu mais gosto! J), versão da música Something Good Can Work do Two Door Cinema Club. Assistam o vídeo dessa música – ah, e reparem no figurino, é DEMAIS!!

“Sempre gostamos de fazer paródia. E foi assim que ‘Shake’ nasceu. Estávamos ouvindo música no carro e começamos a inventar. Aí chegamos nessa história de uma mulher que foi enganada e quer se vingar”, conta Mateus, sobre o nascimento da música. Ele também dirigiu e fez o roteiro do vídeo. “Fizemos tudo no truque, não gastamos nem 500 reais”, relembra.

Anúncios