Stomp

O segundo post musical do blog traz um grupo incrível que conheci recentemente. O Stomp é um dos mais conhecidos e importantes grupos de percussão do mundo, criado por Cresswell e Steve McNicholas, o grupo nasceu na Inglaterra em 1991 na cidade de Brighton. A palavra stomp significa em inglês, batida de pés ou dança com passos duros, e é com muita energia que os integrantes do grupo Stomp apresentam-se em empolgantes espetáculos que mistura muita música, teatro e dança.

Não importa seu gosto musical, cabe tudo e um pouco mais nas apresentações do Stomp, jazz, dança clássica, pop, etc. O grupo utiliza dos materiais mais inusitados para extrair seu som, vassouras, latões de lixo, galões de água, blocos de construção, tampas de panelas, caixas de fósforos, realmente é uma infinidade de instrumentos, além da expressão corporal de exímios bailarinos que se expressam de maneira singular e surpreendentes.

Assista ao vídeo de uma apresentação do Stomp:

Atualmente, existem quatro elencos do Stomp, sendo dois na Inglaterra (um fixo e um para turnês mundiais) e dois nos Estados Unidos, seguindo a mesma filosofia. E é em Nova York no grupo fixo que o brasileiro Marivaldo dos Santos trabalha desde 1996. Compositor, músico percussionista e produtor, esse baiano de 40 anos consolidou sua carreira no exterior com muito ritmo e talento.

O percussionista Marivaldo dos Santos em cena no Stomp.

Nascido em Salvador, Marivaldo dos Santos começou cedo a se interessar pela música, frequentava a escola de samba Diplomatas de Amaralina, uma das primeiras de Salvador e que foi fundada por seus pais. Mais tarde integrou a companhia da irmã e coreógrafa, Rosângela Silvestre, mas a paixão pela percussão o levou para outros caminhos. “Gostava do que fazia, mas não sabia se era exatamente aquilo que queria seguir. Na verdade, dançava, mas meu coração batia no compasso da percussão”, revela.

Apesar de ser integrante do grupo fixo de Nova York, Marivaldo sempre viaja com o Stomp em suas apresentações pela América Latina. E agora suas vindas a Salvador vão ser cada vez mais frequentes, tudo por causa do seu projeto: o Quabales.

O Quabales é um projeto socioeducativo que está sendo desenvolvido em parceria com o Stomp por meio de oficinas de percussão e expressão corporal em Nordeste de Amaralina, bairro da periferia da capital baiana, onde Marivaldo nasceu e cresceu. “Era um sonho que eu tinha ha muito tempo, e certamente muitos desses jovens que estão participando nunca viram algo como o Stomp, que tem essa coisa do movimento, com o som e o teatro. O projeto está começando aqui e espero que se expanda Brasil afora. Vai servir para formar não só futuros artistas, quem sabe até novos integrantes do Stomp, mas também para outras áreas das artes como técnicos de som, iluminadores etc.”, revela Marivaldo em uma entrevista ao jornal Estado de Minas. (Leiam mais da entrevista aqui, e também ao vídeo introdutório do documentário sobre o projeto Quabales.)

Marivaldo atuando no Quabales

As oficinas são ministradas por percussionistas e dançarinos capacitados, além de integrantes e ex-integrantes do Stomp. Podemos esperar o surgimento de grandes artistas  vindos do Quabales. E o blog Trancilim continuará torcendo e acompanhando esse belo projeto.

Conheça também o site do projeto Quabales.