O folclore do Maranhão em lindas estampas, por Victor Dzenk.

Procurando por mais informações sobre o tecido de chita para um novo post, acabei encontrando em alguns blogs um estilista mineiro talentosíssimo. Victor Dzenk é o criador da coleção Chita is Back que homenageia o estado do Maranhão e seu folclore, tudo com muito estilo em belíssimas roupas coloridas e cheias de brilho. A coleção foi apresentada na Fashion Business no Rio de Janeiro, no dia 13 de janeiro desse ano. Dzenk disse que “a ideia foi fazer do folclore uma realidade usável”. Confiram alguns dos figurinos da coleção Chita is Back:

Estampas “Bumba”:

Estampas inspiradas na Chita:

Bordados:

Obs: Esse é o meu favorito. Lindo!!

Link, para mais informações sobre Victor Dzenk.

Anúncios

Arte Reluzente: o artesanato em Capim Dourado

Syngonanthus nitens euriocaulaceae, esse nome comprido e estranho, é o nome científico da planta Capim Dourado, que vem nos últimos anos atraindo a atenção de muitas pessoas devido a sua beleza reluzente. A syngonanthus nitens, que em latim significa brilho, nasce nas veredas do Jalapão – região conhecida nacional e internacionalmente por suas belezas naturais – localizado no leste do estado do Tocantins. O Capim Dourado é utilizado na fabricação de várias peças artesanais produzidas pelas comunidades próximas a essa região.

O artesanato em capim dourado surgiu no povoado de Mumbuca, localizado a 35km do município de Mateiros que contém menos de 200 habitantes. Esse povoado é formado por descendentes de escravos e índios. Ao chegarem nessa região, esses descendentes de escravos – vindos da Bahia – em contato com os índios que já viviam na região, aprenderam o artesanato feito com o capim dourado para a fabricação de cestos, bolsas, chapéus entre outros utensílios que eram costurados com a fibra do buriti – palmeira comum na região.

Os objetos feitos com o capim dourado chama a atenção pela cor reluzente desse capim, cor de ouro. Foi graças à matriarca da comunidade, Dona Miúda, que decidiu vender alguns objetos feitos por ela nas cidades próximas, que essa arte pode ser vista e admirada fora da comunidade de Mumbuca, e com a ajuda do crescente turismo na região as peças feitas com o capim dourado tornaram-se conhecidas em todo Brasil e também e também no exterior.

Os artesões utilizam dois tipos de capim chamando-os o de primeira e de o de segunda, o de primeira é mais grosso, sendo utilizado na fabricação de peças maiores e mais resistentes, e o de segunda é mais fino e maleável, servindo na confecção de peças menores e mais delicadas, como as bijuterias.

Devido ao sucesso das peças feitas com o capim, o governo do estado do Tocantins criou em parceria com a comunidade de Mumbuca incentivos para a produção do artesanato em uma escala maior, fazendo com que outras comunidades e cidades próximas ao Jalapão também se interessasse pela produção das peças. Mas o crescente interesse por essa produção vem causando preocupações referentes à preservação dessa planta. A colheita é feita somente uma vez por ano, entre os períodos de agosto e outubro, se feita fora do período ou incorretamente, a planta pode ser arrancada pela raiz, impedindo sua germinação no ano seguinte.

Para evitar os possíveis transtornos causados por pessoas que não estão habituadas ao manejo do capim dourado, “a Associação Capim Dourado do Povoado de Mumbuca solicitou ao Ibama em 2001 que desenvolvesse pesquisas sobre o manejo e a conservação da espécie. As pesquisas foram iniciadas em 2002, com apoio do Ibama e parceria da ONG Pesquisa e Conservação do Cerrado – Pequi, Embrapa/Cenargem, Universidade de Brasília e o Programa de Pequenos Projetos – PPP/GEF/PNUD, além da própria Naturantins.” (Capim dourado: costuras e trançados do Jalapão. p.19)

O artesanato de capim dourado vem sendo cada vez mais propagado pelo Brasil e pelo mundo, ganhando destaque até na televisão, como foi no caso da novela global Araguaia, exibida no final de 2010 e início de 2011, onde foram mostradas peças criadas pela designer Meire Bonadio. Incentivando o uso consciente e sustentável do capim.

As peças feitas com o capim dourado podem ser encontradas em várias lojas de bijuterias e artigos artesanais ou nos sites de vendas das próprias comunidades produtoras, como o site feito pela associação de artesãos de Ponte Alta,(link) cidade que é conhecida como portal do Jalapão.

Não é à toa que esse artesanato chama tanta atenção, o efeito de ouro produzido pela cor do capim dourado é muito belo, existe cerca de 50 produtos diferentes, como bolsas, carteiras, sandálias, mandalas, etc, todas lindas e reluzentes.